Jornal Cidade - Uruaçu-GO
COLUNAS
AGENDA POLÍTICA
SOCIAL
RELIGIÃO
SABOR DA LEITURA
SAÚDE DO CORAÇÃO
ESPAÇO ESPÍRITA
ESPECIAIS
IMAGEM...
ACONTECIMENTOS
ESTREVISTAS
ARTIGOS
URUAÇU - HISTÓRIA
SERVIÇOS
FALE CONOSCO
SEJA ASSINANTE
SEJA ANUNCIANTE
INFORMES
EVENTOS
NOSSO JORNAL
EXPEDIENTE
WEBMAIL

 

 

 
ARTIGOS
03-12-2017 12:12:20
Luta pela inclusão

Flávia Morais

Foi o objetivo de provocar a reflexão sobre as questões relacionadas à deficiência e buscar a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade que a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o dia 3 de dezembro como Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que 6,2% da população brasileira têm algum tipo de deficiência.

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI) (Lei 13.146/15) é um marco legal que apresenta importantes diretrizes para o que se busca para a pessoa com deficiência no nosso País, dentre elas romper com a visão de que a pessoa com deficiência deve ficar no cantinho, sendo coitadinho e recebendo cuidados, e passe a ser cidadão de direitos, capaz de estar em todos os espaços com dignidade e contribuindo com a nossa sociedade.

Apesar de a deficiência ter sido vista como tabu durante anos, tivemos avanços sociais e a inclusão no mercado de trabalho de pessoas com deficiência precisa ser vista pela sociedade brasileira como forma precursora da tão desejada integração social. É preciso ocupar os espaços públicos de maneira ampla, independente de suas limitações.

A Conferência Nacional da Pessoa com Deficiência abre debates e coloca a sociedade em reflexão no dever da igualdade para inclusão. A finalidade é de quebrar tabus e vencer as barreiras da desigualdade, lutando pelos direitos das pessoas com deficiência, que têm a necessidade de apoio no âmbito social, familiar, escolar, trabalhista e etc, para que a inclusão se torne efetiva e as pessoas com deficiência se tornem mais preparadas e amparadas diante das dificuldades da vida.

O objetivo é a quebra de paradigmas para que isso se torne uma mudança cultural. Precisamos de ações efetivas para construir uma sociedade inclusiva, solidária, que possibilite a igualdade de oportunidades. É preciso reunir esforços para que o sistema educacional e a sociedade tornem-se realmente inclusivos, beneficiando a todos, respeitando a observância dos Direitos Humanos, segundo a convenção interamericana contra toda forma de discriminação. O desafio é grande, mas com o envolvimento de todos nós podemos sonhar com uma sociedade mais justa.

 

Flávia Morais (PDT) é deputada federal por Goiás

Histórico
  » 03-12-2017 12:12:20 - Luta pela inclusão
  » 17-11-2017 00:11:11 - ‘EDITORIAL’ - Edição 270 (16 a 30/11/2017) – “Projeto ‘Natal Luz’ (Valmir Pedro) e d. Fernando Mason”
  » 09-11-2017 20:11:19 - ‘EDITORIAL’ - Edição 269 (1º a 15/11/2017) – "Pequi... ‘Piqui’, para o povão"
  » 30-07-2017 04:07:47 - ‘EDITORIAL’ - Edição 262 (16 a 31/07/2017) – ‘Curso de Medicina em Uruaçu: é possível, com qualidade’
  » 15-07-2017 08:07:17 - Sem reforma, Estado continuará covil de ladrões
  » 25-06-2017 11:06:00 - ‘EDITORIAL’ - Edição 260 (16 a 30/06/2017) – ‘Crítica chinesa ao sistema ferroviário do Brasil’
  » 19-05-2017 12:05:22 - O desafio da renda na safrinha de milho
  » 06-05-2017 08:05:34 - Resiliência
  » 01-05-2017 05:05:46 - 'EDITORIAL' - Edição 257 (1º/05/17) – “Investimentos... Marconi Perillo: ‘Eu gosto de sorrir’”
  » 29-04-2017 20:04:45 - Aniversário da UEG
veja o histórico completo
  Untitled Document
Enquete

‘Lei Seca’: você concorda com o ato de avisar sobre pontos de blitzes?

   Sim
    Não

    Votar

    Parcial

Consulta entre 1º e 31 de janeiro/2018
Google
Google